Chris e Dani apostaram no home wedding para celebrar a união e reunir os entes queridos.

O casamento em casa, intimista e caprichado, foi a escolha perfeita para o casal, adepto do menos é mais.

Enquanto a noiva sonhava com uma proposta simples e descontraída, o noivo já se sentia casado desde que o compromisso ficou sério, então levou tempo para se acostumar com a ideia de um enlace formal.

Surpreendentemente, embarcou pra valer e ajudou a estruturar a proposta que rendeu uma comemoração alegre, espontânea e cheia de detalhes especiais.

As fotos são da talentosa Carla Trevizani e estão tão especiais que dediquei horas na escolha!

Além de contar detalhes dos preparativos (abaixo), a noiva enviou um depoimento de arrancar suspiros.

Preparem o coração e aproveitem.

Com vocês, Chris e Dani.DANI-E-CHRIS-028 DANI-E-CHRIS-042 DANI-E-CHRIS-032

“Desculpe o transtorno, preciso falar de nós… Não nos conhecemos no jazz, na infância, nem no ICQ. A primeira vez que nos vimos, acreditem, foi no show da J.Lo. Não foi amor à primeira vista, foi chegando de mansinho, mas com toda a sinceridade e coração aberto que se pode ter. É um amor construído, que ganhou seu merecido espaço, não tem essa firula toda, não.

A gente não fez filme, não fez poesia, nem música. O máximo que a gente fez foi sushi e macarrão juntos. Começamos essa construção há exatos 4 anos, na cumplicidade desse brinde à vida que viria e a gente nem imaginava.

Ganhei amigos, viajamos o mundo dividindo horas de conversa (e vamos viajar mais) e ganhamos um grande amor que veio nos completar, o Calvin.

Das dez músicas que mais gosto, três foi ele que me mostrou. Das dez músicas que ele mais gosta, nenhuma fui eu quem mostrei.

Aprendi o que é tranquilidade, companheirismo e não dar passos maiores que as pernas. Ensinei (pelo menos tentei ensinar) a espontaneidade, o prazer pelas pequenas coisas e dar passos maiores que as pernas de vez em quando.

A gente briga pelo lençol, disputa o carregador de bateria e ficar p* quando o outro não atende o celular. Nosso amor não tem poesia… Sequer tem trilha sonora. Na vida real, a felicidade pode estar no silêncio. O silêncio que nos permite chegar em casa numa sexta-feira à noite e sentar na frente da TV com o Calvin pra ver Narcos.

Simples assim, que a gente possa brindar muitas e muitas vezes, sempre que nos der vontade!”.

DANI-E-CHRIS-059

DANI-E-CHRIS-189DANI-E-CHRIS-270DANI-E-CHRIS-274

DANI-E-CHRIS-156 DANI-E-CHRIS-162DANI-E-CHRIS-121 DANI-E-CHRIS-123

DANI-E-CHRIS-197DANI-E-CHRIS-168 DANI-E-CHRIS-181 DANI-E-CHRIS-250 DANI-E-CHRIS-258 DANI-E-CHRIS-335DANI-E-CHRIS-344DANI-E-CHRIS-353DANI-E-CHRIS-325 DANI-E-CHRIS-362DANI-E-CHRIS-393DANI-E-CHRIS-347 DANI-E-CHRIS-400DANI-E-CHRIS-371 DANI-E-CHRIS-429DANI-E-CHRIS-384 DANI-E-CHRIS-395 DANI-E-CHRIS-430 DANI-E-CHRIS-456 DANI-E-CHRIS-485 DANI-E-CHRIS-510 DANI-E-CHRIS-574 DANI-E-CHRIS-607 DANI-E-CHRIS-584 DANI-E-CHRIS-596

“Eu sempre tive o sonho de casar, mas não era um sonho tradicional, com véu e grinalda, na igreja… O que existia era aquela vontadinha no fundo do peito de vestir branco e poder festejar ao lado das pessoas mais importantes pra gente.

O Chris, por sua vez, nunca imaginou casar, rs.

Desde o momento que passamos a morar juntos ele já se sentia casado, e festa não é com ele.

Os dias e meses foram passando e fomos nos achando dentro das duas vontades, pensando em um formato de festa que agradasse os dois.

Primeiro veio a ideia de fazer um jantar para padrinhos e pais, seguido de uma balada para dançar (sim, para mim dançar era essencial).

No dia seguinte dessa decisão, veio a linda notícia de que minha madrinha poderia nos abrir as portas da casa dela para celebrarmos o casamento lá.

Depois de muitas conversas, conseguimos achar um formato de celebração perfeito para nós: um home wedding intimista, com celebração religiosa, de dia (o combinado era acabar antes das 22hs).

Em pouco tempo o casamento foi organizado.

Fizemos uma organização prática, sem muitos protocolos, mais preocupados com o resultado final do que com detalhes. O save the save e convite foram virtuais, disparados por WhatsApp e e-mail. Os principais fornecedores eram da família, o que tornou a nossa festa ainda mais intimista.

Minha tia fez a decoração, meu tio o som, uma amiga os doces, outra amiga contratei para as fotos, e assim fomos nos cercando de amor por todos os lados.

Antes do grande dia já tínhamos uma viagem marcada para os EUA, mais precisamente Las Vegas. E foi quando organizávamos a viagem que surgiu a única vontade espontânea do Chris de celebrar um casamento. A ideia de casar com o Elvis parecia divertida e foi se tornando real.

A experiência de me arrumar sozinha para o casamento (mesmo a gente não considerando o casamento do Elvis como oficial) foi algo inesquecível… Quem disse que eu conseguia passar o delineador? Passar por essa cerimônia antes e abrir um ciclo de 3 celebrações foi mágico! Emoções, troca de olhares e alianças foi o que não faltou para nós!

Isso foi em fevereiro. Logo depois, em março, casamos no civil. E aí tivemos mais um balde de emoções. Civil apenas com pais e irmãos, com direito a almoço na casa da mãe da noiva regado a discursos e trovadores urbanos, que nos fizeram chorar de emoção!

Cada dia de celebração teve seu marco, e sem dúvida faríamos todos novamente.

Depois vieram as despedidas de solteiro, chá de lingerie e mais amor envolvido! Ver amigos celebrando a nossa felicidade não tem preço. E não teve preço ver as declarações do Chris, feliz em estar chegando o grande dia.

Aquele Chris que, lembrando, não queria casar, e agora não via a hora do SIM!

Mais choro e mais emoção para nossos corações.

O grande dia aconteceu exatamente como a gente queria: leve, feliz e rodeado de muito amor. Começou às 7 da manhã com os preparativos de cabelo e maquiagem.

Ao chegar perto das 13h o coração ia apertando. Entrar na cerimônia sem dúvida foi um dos momentos mais marcantes.

A música era surpresa para o noivo, e cada vez que eu escutava tinha certeza que era perfeita. Dito e feito, não só emocionou o meu coração como tocou diretamente o coração do noivo.

A cerimônia foi conduzida pela Pastora Ana Paula, e depois complementada com bençãos das irmãs (representando cada família) e madrinhas e padrinhos. Também do jeito que queríamos: padrinhos ativos na cerimonia, e não somente passivos espectadores.

Claro que imprevistos acontecem, mas se posso dar um conselho, não se prendam a eles, pois em um evento é impossível termos perfeição. O importante é a felicidade dos noivos e o amor dos presentes.

Pista aberta e muitos drinks para animar a festa até o fim! Ah, como eu queria voltar no tempo e viver tudo isso de novo!

Obrigada Carla Trevizani, por registrar tudo isso e tornar uma lembrança eterna”.

DANI-E-CHRIS-588

DANI-E-CHRIS-620 DANI-E-CHRIS-640 DANI-E-CHRIS-648

DANI-E-CHRIS-671 DANI-E-CHRIS-677 DANI-E-CHRIS-682 DANI-E-CHRIS-686 DANI-E-CHRIS-692 DANI-E-CHRIS-724 DANI-E-CHRIS-734 DANI-E-CHRIS-746

Quem fez?

Fotografia: Carla Trevizani  Espaço: Casa da Tia Tânia • Beleza: Equipe Claudio Vitor • Celebrante: Ana Paula • Buffet: Bendita Ideia Banqueteria • Doces: Kelly Albertini • Bem casado: Ana Cristina • Decorador: Marcia Branco • Som e iluminação: Nando Jones • Vídeo: Andrea Pasquini • Vestido de noiva: Dani Vidiz • Sapatos: Juliana Bicudo • Traje do noivo: Hugo Boss • Produção e assessoria: Michele Silva • Sorvete: Dilleto • Banda: Claudião

Fornecedores dos Sonhos

Quem gostou espalha amor
0 comentários

Escrito por Flávia Queiroz

Publicitária, content creator e dedicada a ações que aproximam pessoas. Sou viciada em casamentos, mas de um jeito diferente da Gretchen.
Julia e Vinicius tem muita coisa em comum, incluindo a profissão e um canal no YouTube, o Perca a Novela. Optaram por um enlace simples e aconchegante, e foi assim que o casamento no restaurante Brodo foi organizado: sem imposições, tradições ou itens que não...
Thaíla e Renan tiveram um lindo casamento no Palácio Tangará.   O espaço, por si só, renderia um enlace dos sonhos, mas a personalidade dos noivos deixou tudo ainda mais charmoso.   O casal, que tem o esporte como amor em comum, escolheu dizer sim...
A Millene e o Rapha formam um desses casais que fazem a gente sorrir. Sabe esses casais que combinam tanto, mas tanto, que fazem a gente acreditar pra valer em par perfeito?   Não bastasse serem lindos e feitos um para o outro, eles escolheram...
Preparados para o elopement wedding da Bruna e do Lucas?   O casal trocou alianças em uma linda cerimônia a dois na Serra Catarinense, o que rendeu fotos incríveis pelas lentes de Alan Vieira.   “Já acompanhávamos o trabalho do Alan nas redes sociais. Sempre...
Quem já flertou com a ideia de um destination wedding vai amar o post de hoje!   Paula e Guilherme trocaram alianças em Cancun, no Hotel Krystal.   O casamento praiano teve uma linda cerimônia pé na areia seguida de jantar, tudo cuidadosamente organizado pela...
Os donos do enlace da vez são a Diana e o Diogo. Quando até o nome combina, a gente já sabe que vem inspiração por aí!   Desde o princípio a ideia era um casamento intimista, aconchegante, elegante e apenas com convidados que marcaram a...